SOU VELHO DEMAIS PARA ISSO?

A maioria das pessoas acredita que, com a idade, vem uma limitação natural para determinadas atividades, especialmente as que envolvem esforço físico. Mas é justamente o contrário.


A terceira idade representa uma das fases em que mais podemos ter qualidade de vida, se soubermos aproveitar. Com a chegada da aposentadoria, voltamos a ter tempo disponível para atividades de lazer, passar mais tempo com amigos e família.

Cuidar da saúde também pode ficar mais fácil e mais divertido nessa fase. Além de preencher o dia, atividades como caminhadas, hidroginástica, academia e tantas outras, quando praticadas com frequência, tornam o processo de envelhecer mais leve. Ao contrário do que se imagina, incorporar essas atividades na rotina não oferece nenhum perigo para os idosos, mas aumenta a expectativa de vida, ajuda no combate aos males do sedentarismo e diminui o risco de incidência de diversas doenças. Além disso, a prática de exercícios na terceira idade promove a melhora das funções orgânicas e cognitivas, garantindo maior independência pessoal ao idoso, e garantindo assim que ele possa aproveitar também outros aspectos da vida, como o social. Com mais vigor e saúde, atividades culturais e viagens tornam-se mais fáceis de fazer e também contribuem para um envelhecimento saudável.

COMO LIDAR COM A DEBILIDADE E O PRECONCEITO DE IDADE

Muitas pessoas se valem do estereótipo do idoso para discriminar pessoas dessa faixa etária no dia-a-dia. A crença de que a idade é um fator debilitante é uma crença ultrapassada, além de preconceituosa.

Apesar da idade, aos poucos, realmente dificultar a realização de algumas coisas, essa dificuldade não é absoluta e nem generalizada. Por exemplo: uma pessoa de 80 anos pode não conseguir disputar uma partida de futebol de campo, mas nada impede que essa pessoa assista ao jogo na arquibancada, saia para caminhar de manhã, faça aula de pilates ou vá viajar e passeie a pé durante a viagem.

Lidar com o envelhecimento pode ser um processo desafiador para muitas pessoas, mas de forma alguma justifica nenhum tipo de preconceito ou maus tratos. Envelhecer não é e nunca foi doença, mas sim um privilégio.

0 visualização0 comentário